quarta-feira, 21 de maio de 2008

CEFAPROS DE MT.

Cefapros de MT serão protagonistas na formulação de políticas de formação.


Em alguns municípios, entidades do setor educacional “concorrem” pela mesma clientela quanto à formação de professores. Na mesma localidade, podem estar atuando a Seduc, através dos Cefapros; a UFMT, através dos Núcleos de Educação à Distância (NEAD); a Unemat, com os Ceads; e o MEC, através dos Cefets e da Universidade Aberta do Brasil (UAB). Sem contar com a oferta pelas escolas particulares.


A partir de agora, os Cefapros serão os protagonistas no processo de planejamento estratégico na formação inicial e continuada de profissionais da Educação e na articulação com vistas à formulação de política para o setor. O objetivo não é apenas eliminar essa sobreposição de esforços, mas, também, dar condições de se atender à demanda na formação de professores para algumas disciplinas e melhorar os indicadores educacionais do estado. Só para exemplificar, em Mato Grosso é significativa a demanda de professores para as disciplinas de química, física, matemática e biologia.



O protagonismo no papel dos Cefapros foi destacado hoje (15/02) numa das reuniões que estão sendo realizadas no Hotel Fazenda Mato Grosso, local em que ocorre um encontro dos profissionais que trabalham nestas entidades (atualmente, 13 em todo o estado). Os Cefapros são os Centros de Formação dos Profissionais da Educação Básica. A secretária adjunta de Políticas Educacionais da Seduc, Rosa Neide Sandes e a secretária extraordinária de Apoio às Políticas Educacionais, Flávia Nogueira, conversaram com os dirigentes dos Cefapros, sobre o Plano de Ações Articuladas (PAR), entre a Federação, Estado e Municípios, na perspectiva da construção de um plano estratégico de formação iniciada para os profissionais da Educação.



Rosa Neide Sandes mostrou que agora os Cefapros, em suas regiões, serão os responsáveis pelo diálogo institucional com as entidades, já citadas, que atuam na formação de professores. “A intenção é que a demanda não seja mais atendida de forma aleatória, mas sim tendo os Cefapros como formuladores de políticas específicas, a partir de diagnósticos da situação local”, explicou Rosa Neide aos diretores.


A secretária Flávia Nogueira destacou que os Cefapros, nesse contexto, terão claramente uma “identidade institucional”, como protagonistas nas políticas de formação. Ela mostrou que a Seduc, na formulação dos diagnósticos do PAR, teve um papel importante, diferenciado em relação aos demais estados brasileiros. Os diagnósticos do PAR, que viabilizam apoio às políticas públicas e injeção de recursos nos municípios, são feitos por equipes do MEC e das prefeituras. Em Mato Grosso, por entender que possuía técnicos capacitados e condições de contribuir, a Seduc montou também equipes para isso. De acordo com a secretária, uma das necessidades é a formação de profissionais. “Sem professores bem formados, as outras estratégias não vão funcionar”, argumentou.



Flávia acredita que a vinda recente de uma equipe com inúmeros dirigentes de importantes órgãos do MEC, em Cuiabá, tenha sido motivada pelo empenho do estado na questão.


SERGIO LUIZ FERNANDES
Assessoria/Seduc-MT

Nenhum comentário: